quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

São Carlos é Anfitriã de Novas Bandas da Cena Independente durante o Carnaval

por Jovem Palerosi

Para os amantes de música que escolherem ficar na cidade, o Carnaval deste ano promete bons momentos. Várias das bandas da cena independente saíram para a estrada e estão circulando entre as 50 edições do maior festival integrado que se tem notícia, o Grito Rock. Na edição local, dentre os 150 inscritos, o que fica marcado é a diversidade entre os estilos dos que se destacaram e garantiram seu lugar no line up, prometendo apresentações memoráveis durante os dois dias de shows no Armazém Bar.

Pra começar a noite de segunda-feira, primeiro dia de Festival, Sâo Carlos recebe de Sorocaba a Inventiva, banda que enviesa seu som pelo bom humor, com o instrumental marcado por um rock de garagem, letras satíricas, esdrúxulas e “sem noção”. Vale a pena chegar logo no início para dar boas risadas.

Já a banda que entra na sequência, a paulistana Homiepie (foto), direciona seu trabalho para outros lados. Mais amena, mas não menos instigante, eles são de uma nova geração de bandas brasileiras influenciadas pelo rock e folk alternativo dos anos 90. Acordes básicos com poucos efeitos, letras singelas em inglês, um bucolismo à flor da pele e a confecção de um clima para todo mundo bater palma e cantarolar junto com os dois rapazes e a garota que formam a banda, sem bateria.

Também em uma onda mais amena, o Gigante Animal (foto) já encantou quem assistiu ao show deles no final do ano passado por aqui, tanto que foi selecionado novamente para tocar desta vez para uma casa que deve estar cheia. Belas canções sensíveis, reflexivas e com elementos pop na medida certa para falar sobre sentimentos comuns a todos os seres humanos.

Os Violentures também voltam ao palco do Armazém Bar para fazerem os foliões caírem na surf music. O power trio instrumental de Campinas deve começar a tirar o suor do corpo no inferninho carnavalesco. Segundo eles mesmos sugerem, “um show para quem tem sangue nas veias, energia nos dentritos e cerveja na cabeça”. Quem já os viu por aqui no 1º Festival Be Bop a Lula sabe que a pressão sonora vai aumentar e a circulação deve trabalhar mais rápida.

Aí então sobe a Narcotic Love pra finalizar a primeira noite. Entorpecente, o som deles é marcadamente influenciado pelo rock e pela música eletrônica, mas é com as letras e o vocal soul/pop que eles apostam no diferencial em sua relação com o público. Primeira vez na cidade, estão empolgados desde já para mostrar as músicas, cantadas em inglês, e principalmente, a performance que promete ser bem diferente das demais bandas que passarão por aqui.

Na terça-feira, o Festival começa mais cedo com os vizinhos de Rio Claro do Delunes e seu hardcore melódico sentimentalmente dolorido, em uma linha que costuma ser bem explorada principalmente pela geração de roqueiros mais novos. Letras bem pessoais, histórias de amor e expressividade na interpretação dos sons com certeza vão marcar a apresentação.

Venial: “de perdoável; pecado leve que não faz perder a graça divina, é o oposto de pecado mortal”. A banda vem de Cuiabá, cidade que concebeu o Grito Rock, para botar fogo com seu metal extremo original. Eles tocam na edição de “Hellcity” na 2a à noite e vem direto para cá, embalados pelo mais intenso espírito rocker de tristezas e momentos caóticos, que marcam o mais recente EP “Surtar a Dor”.

De Ribeirão Preto vem a Alma Mater (foto), que é de um campo mais experimental, muito influenciados pelo post-rock e pela inquietação timbrística dos shoegazers, abusando dos pedais das guitarras, efeitos e texturas variadas. Possui ainda um violino e um cello na banda, o que ajuda a aprofundar os climas densos e bem introspectivos que marcam seu novo EP “Movements”, lançado no ano passado.

Bem diferente da proposta de apresentação do 220 Skabar, que já aposta no ritmo jamaicano que faz parte do nome da banda como elemento fundamental para “festa, alegria e união”. Com muito alto astral e a energia típica deste gênero, o sexteto de Londrina deve fazer um dos shows mais animados da noite.

Os Visitantes também trazem certo bom humor e ironia, presente desde o nome, que sugere ser uma banda de estrada e revela, como uma de suas marcas, a influência que cada lugar imprime no som que fazem. As letras, em geral bastante criativas, começaram a ganhar um foco na brasilidade nos últimos tempos, apesar da banda ter um passado influenciado pelas bandas grunge dos anos 90. Quarteto básico de rock, versáteis, os rapazes trabalham também com outras artes e estão produzindo a edição do Grito na capital paulista pelo coletivo que fazem parte, o Escárnio & Osso. Fique atento às invenções dos rapazes, que eles devem vir inspirados.

De São Paulo vem também o Júlia Car, uma das bandas mais ecléticas da programação. Sem se prender a um estilo, as composições são influenciadas desde os beats e vocais do hip hop, as guitarras do rock e a alma do pop, além de outras artes que influenciam o projeto desde sua criação, que foi para realizar uma trilha sonora de teatro. Em diversas apresentações eles também utilizam projeções e outras interações com o público e se classificam como um “corpo orgânico eletrônico coletivo”, nada mais urbano.

Pra finalizar o festival, uma das atrações mais esperadas é o 2 Coins and a Bombshell (foto). Música para se chegar ao limite do Carnaval, no ápice da insanidade da folia, antes da “Quarta-Feira de Cinzas chegar. Riffs marcantes, letras sarcásticas gritadas em inglês, e atitude que não possui ensaios. Na bateria e guitarra, os responsáveis são os cearenses Xavier e Dazul, músicos experientes que contribuem ainda com diversos outros projetos bastante interessantes. Mas a bomba estoura é com a performance da paulistana Manu, vocalista, estilista e performer, que deve incendiar ainda mais a casa de shows mais quente da cidade.

Para mais informações, impressões e sensações, acesse os sites oficiais, myspaces e outros, ou melhor ainda, entre em sintonia com eles durante os dois dias do Festival.



Grito Rock São Carlos

Shows: 23 e 24/02 no Armazém Bar

Feira de Cultura e Economia Solidária: 24/02 na Praça Coronel Salles

Programação Completa em www.massacoletiva.blogspot.com ou em www.gritorock.com.br

Realização: Massa Coletiva, Circuito Fora do Eixo Armazém Bar

Um comentário:

escarnioeosso disse...

Boa demais a vinheta de vocês. Até terça feira Massa!

Abraços!
(nosso link mudou pra escarnio.com.br)